A existência do Instituto de Pós-Graduação Médica do Rio de Janeiro contou com a importante colaboração de três pessoas muito especiais. Vidas dedicadas a doações sem exigir retornos e com o nobre objetivo de salvar vidas humanas e minimizar o sofrimento de seus semelhantes.

 A elas, o IPGMRJ presta suas homenagens:

Tjong Oei

        Empresário vitorioso, cedeu parte de seu patrimônio para obras sociais na Barra da Tijuca visando o progresso do bairro. No terreno que nos cedeu há mais de 20 anos é que está hoje construída a sede do IPGMRJ, onde estudaram mais de mil médicos do Brasil e do exterior.

         Oei é um homem bom, sereno, correto, amigo incomparável dos seus amigos, fala pouco, mas o que diz vale mais que qualquer documento. Um exemplo de vida.

José Neves Neto

       Pai dos competentes engenheiros José Alfredo e Cláudio Neves, é outra figura de nobres sentimentos. Ao tomar conhecimento que desejávamos construir um hospital na Barra da Tijuca, empenhou-se com ardor junto aos filhos e apresentou-nos a Tjong Oei. Com entusiasmo insistia em nos ajudar a atingir nosso objetivo.
 

Maria Celeste Yassin Loureiro

       Advogada, trabalhou intensamente para reunir os documentos e elaborar os processos que foram submetidos ao Conselho Federal de Educação para aprovar nossos cursos de Especialização em Cardiologia, Terapia Intensiva, Cardiopediatria, Cirurgia Vascular e Pneumologia. Viajou várias vezes a Brasília e lá permaneceu o tempo necessário para ver aprovadas as solicitações de criação de nossa Escola. Merece de toda a instituição os nossos maiores agradecimentos.

Stans Murad Netto
Diretor

Homenagem da Socerj ao Prof. Stans Murad

Em 2006, o Prof. Stans Murad, Diretor do IPGMRJ, recebeu homenagem da Socerj e, na ocasião, proferiu o seguinte discurso.

"Recebo da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro esta inesperada e jamais imaginada homenagem que me causa uma grande emoção e um sentimento de profunda gratidão.

A emoção é envolvida de uma sensação especial de felicidade, ao constatar que a Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro cumpre os sagrados princípios pelos quais foi criada e que teve um significativo e progressivo crescimento nos últimos anos. Sinto-me gratificado por ter sido um de seus fundadores.

Imaginei que viveria para assisti-la a abrir caminhos para todos os seus associados, ajudando-os a progredir sem limites, a produzir seus trabalhos e poder publicá-los, incentivando-os à criatividade para incluir o Brasil entre os países líderes da medicina mundial. A Argentina tem dois prêmios Nobel. O prof. Roberto Viña, notável cientista daquele país cedeu-nos seu mundialmente conceituado serviço para que desenvolvêssemos nosso trabalho de células-tronco por via retrógrada no infarto do miocárdio numa demonstração de grandeza científica e por valorizar o objetivo maior desta parceria que é a construção de uma medicina melhor em favor da vida. O resultado desta parceria foram dois trabalhos premiados do prof. Roberto Viña no Congresso Europeu de Cardiologia e a criação de uma terceira e importante via de introdução de células-tronco no miocárdio para tratamento da cardiopatia isquêmica. Com esta mão estendida do notável mestre argentino ganhamos todos. Depois de um longo caminho percorrido em minha vida, de ter assistido a extraordinários debates entre importantes centros de Cardiologia mundial, tão notáveis que era impossível destacar qual era superior, aprendi que a melhor forma de ganhar liderança em uma disputa pelo conhecimento é criar e oferecer a melhor contribuição. Aprendi que jamais devemos destruir ou inibir o que é bom e nunca perpetuar o que é ruim, pois o maior perdedor será a Medicina, o enfermo e esta sagrada terra brasileira ávida de paz e de progresso. O segredo do sucesso na vida depende principalmente da criatividade e de sorte. A criatividade pertence ao homem e a sorte é uma dádiva de Deus. Infelizmente, a competência e o trabalho duro não nos levam sempre ao topo da montanha.

A traição, o engano e a esperteza produzem vitórias de curta duração, e o pior, de péssimas reputações. Por isso nós acreditamos que a busca constante da criatividade é o melhor caminho para o sucesso na vida. Existem muitos exemplos que podemos relatar, mas citaremos apenas dois.

Era preciso alguém ter nascido na Alemanha para introduzir um cateter urinário na veia e realizar o 1º cateterismo cardíaco da história? Era preciso estar nos Estados Unidos para usar um segmento de veia e realizar a primeira ponte de safena que revolucionou a cardiologia?

Convoco os mais jovens à reflexão e que pensem noite e dia em criar soluções novas, principalmente agora que se inicia a maior revolução de toda a história da medicina que é a revolução genética.

Somos um povo inteligente e criativo, temos excelentes serviços de Cardiologia formando jovens competentes e tão preparados que atualmente ocupam com total eficiência centros de diagnóstico e hospitais do mais alto nível de nosso país.

Cabe às Sociedades de Cardiologia uma grande responsabilidade nesta nova etapa da evolução da Medicina - a de estimular e delegar a esta nova geração a tarefa de trazer para o Brasil uma parcela do universo das grandes conquistas científicas do amanhã e pagarmos, com isto, a dívida que não conseguimos realizar no passado.

Os pesquisadores de todo o mundo estão no começo das investigações genéticas e o Brasil encontra-se na vanguarda destes estudos que certamente mudarão completamente a Medicina em todas as especialidades que serão denominadas geneticistas do aparelho cardiovascular, urinário etc. Estamos todos no mesmo nível e no início da jornada.

Um número incomensurável e crescente de grandes descobertas ocorrerão e nós desejamos que o Brasil figure entre aqueles que deram essas grandes contribuições científicas à humanidade.

Por isso, cabe também às Sociedades de Cardiologia um dever e um compromisso perante a história nesses próximos anos. Os trabalhos, as pesquisas e as tarefas não devem se restringir a grupos fechados com impedimento aos demais porque a idéia iluminada e criativa capaz de nos promover a todos como médicos brasileiros pode não estar nesses grupos. Todos devem ter o direito de contribuir pela medicina e pelo Brasil .

Obrigado presidente Eduardo Nagib e a toda diretoria da SOCERJ. Parabéns a todos vocês pela administração dirigida generosamente a todos os sócios indistintamente.

Parabéns Eduardo Nagib pela sua brilhante carreira profissional e pelo seu grande sucesso de atingir cedo na vida o posto mais alto de nossa representação.

Obrigado vice-presidente Reinaldo Hadlich, uma das melhores figuras humanas que conheço. Sempre alegre, otimista, um grande mestre, um grande médico. Você é um dos maiores responsáveis pelo sucesso desta administração da SOCERJ. Um trabalho de associação e produtividade. Deus lhe compensou com uma linda família e seus dois admiráveis filhos médicos.

É a diretoria da SOCERJ, tendo à frente Eduardo Nagib e Reinaldo Hadlich que merecem as homenagens desta noite e de todos nós.

Obrigado aos professores do Instituto de Pós-Graduação Médica do Rio de Janeiro: Antonio Couto, Astolfo Serra, Dany Kruczan, Eduardo Andréa, Fernando Morcef, Fernando Palhares, Paulo Villar, Reinaldo Hadlich, Rogério de Moura, Salvador Serra, Victor Murad, Vitor Romão a quem a escola deve seu elevado conceito e extraordinário nível cientifico. Vocês são os detentores legítimos das glórias deste rito solene.


Obrigado ao engenheiro Charles Murad, responsável pela moderna tecnologia de ausculta cardíaca que usamos no Instituto, pelo moderno auditório que construiu e por viabilizar a educação à distância por meio da internet, ontem finalmente aprovada pelo Conselho Nacional de Educação.

Obrigado às professoras Liliane Barros e Elizabeth Rondelli pela contribuição à administração do Instituto.

E aos funcionários Marcos Rosa, Eduardo, Camila, Eloar, Pámela, Gissele, Henrique, Lourdes, Shirley que no seu trabalho anônimo e cotidiano tornam fácil a nossa caminhada.

Obrigado a Deus e a meus pais por me ensinarem o caminho. Obrigado a todos vocês pela paciência de me ouvir.

Termino como antes e sempre, usando o Sermão da Montanha testemunho de minha fé.

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque serão fartos."

Prof. Stans Murad Netto

Instituto de Pós-Graduação Médica do Rio de Janeiro